“Temos um parâmetro de exigência do qual me orgulho”

Imagem da notícia: “Temos um parâmetro de exigência do qual me orgulho”

O equilíbrio entre o perfecionismo e a rentabilidade nem sempre é fácil de se conseguir. Porém, após o reencontro com Miguel Teles, demo-nos conta de que o orgulho e o respeito por um trabalho de excelência falam mais alto, pelo menos, para o diretor da Aros. 

ÓpticaPro: Qual é a missão da Aros?

Miguel Teles: A nossa missão é prestar uma mais-valia e ajudar as óticas a elevar a fasquia. A Aros nasceu no sentido da exigência e do perfecionismo, do valor acrescentado e do cuidar pelo cliente, seja o ótico, seja o consumidor final. 

ÓpticaPro: Essas são algumas das suas palavras de ordem. Quais os prós e os contras? 

Miguel Teles: Aqui somos perfecionistas porque somos exigentes. Temos uma política muito clara: os óculos entram aqui uma lástima e têm que sair daqui impecáveis! Claro que há certas e determinadas vezes em que, se formos excessivamente perfecionistas, íamos perder rentabilidade. Temos uma carga de trabalho de 50 a 70 montagens por dia e, se levarmos o perfecionismo ao limite, provavelmente só faríamos metade. No entanto, temos um parâmetro de exigência do qual me orgulho. É o que nos distingue da maioria dos nossos concorrentes diretos.

Leia a entrevista na íntegra na edição número 186 da ÓpticaPro. Subscreva a sua assinatura em papel ou digital aqui.

13 Dezembro 2018
Entrevistas

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas

Daniela Guerreiro: “O mercado da ótica mudou bastante”

Com uma recente remodelação, a Oculista Carioca, nos arredores de Sintra, está mais atrativa e funcional. Com “um serviço de qualidade, seriedade e profissionalismo”, Daniela Guerreiro, há 16 anos na empresa fundada pelo pai, reconhece que o mercado mudou bastante desde então.

Ler mais 20 Julho 2020
Entrevistas

“Iremos colocar em prática uma forte campanha de sensibilização”

Em meados de maio, a Associação Nacional dos Ópticos (ANO) apresentou os resultados do inquérito ao subsector de comércio a retalho de material ótico, pedido ao Centro de Estudos Aplicados (CEA) da Universidade Católica Portuguesa (UCP), com o objetivo de analisar o impacto da pandemia Covid-19 nesta área. Falámos com Fernando Tomaz, presidente da direção da ANO, para conhecermos as principais conclusões do estudo e as medidas que se impõem.

Ler mais 26 Junho 2020
Entrevistas