“Os equipamentos tecnológicos afetam negativamente a visão das crianças”

Imagem da notícia: “Os equipamentos tecnológicos afetam negativamente a visão das crianças”

Com uma equipa de quatro profissionais na área da saúde da visão, a Kids & Teens, em Lisboa, concentra diversas outras especialidades dirigidas aos mais novos. Para Gracinda Alves, ortoptista que trabalha nesta clínica liderada pela médica dentista Sofia Arantes e Oliveira, “a utilização dos equipamentos tecnológicos, como telemóveis ou tablets, afeta negativamente a visão das crianças pela atitude dos pais, que os deixam usar desde muito novos”.

Acredita que a cada vez maior utilização de aparelhos tecnológicos afeta gravemente a saúde visual?

Gracinda Alves: A utilização dos equipamentos tecnológicos, como telemóveis ou tablets, afeta negativamente a visão das crianças pela atitude dos pais, que os deixam usar desde muito novos. Há estudos que indicam que esses hábitos levam a alguma miopização. Uma criança que não teria à partida problemas de visão, pode eventualmente vir a ter uma miopia de meia dioptria ou talvez uma dioptria. Mas isso é daquelas situações extremas, crianças a olhar para um ponto muito perto. Mas, neste momento, os tablets e telemóveis, em situações de ambliopia, em que tapamos um olho à criança para estimular o outro, são um dos gadgets que utilizamos para estimularem a visão, coisa que eles acham muita piada. Para eles, é uma estratégia deliciosa. 

Que tipo de conselhos costuma dar aos pais?

GA: Vigiar a visão das crianças e antes da escola fazerem realmente uma visita ao oftalmologista e, se necessário, fazerem uma avaliação de ortóptica para saber se a visão binocular está em condições. Normalmente, as pessoas estão habituadas a ouvir falar em olhos e ver bem, mas não é só isso. Necessitamos de ver bem, que os dois olhos estejam alinhados para que a imagem que recebem chegue ao cérebro como uma, para que exista aquilo que se fala muito que é a visão a 3D, algo que só se consegue se os dois olhos estiverem a trabalhar em conjunto. Os olhos têm movimento, realizado por músculos, e, quando estamos a ler, esses músculos vão obrigar a fazer a convergência para a leitura. Quanto mais tempo estiverem numa posição de convergência, mais se cansam, tal e qual como se estivermos muito tempo em pé.

Entrevista completa na ÓpticaPro 201.

6 Fevereiro 2020
Entrevistas

Notícias relacionadas

Rui e Luís Pereira: “A ótica era a vida da nossa mãe”

Maria Graciete Pereira, a proprietária da Óptica Graciete, ilustrou a capa da ÓpticaPro 5, com data de maio de 2005. Na entrevista que nos concedeu nessa altura, falou do interesse dos seus filhos pela área da ótica. 15 anos depois, voltámos a Faro para conversar com Rui e Luís Pereira, a geração que dá continuidade ao negócio.

Ler mais 12 Março 2020
Entrevistas