Luz azul dos dispositivos digitais prejudica sono

Imagem da notícia: Luz azul dos dispositivos digitais prejudica sono

“A luz azul emitida pelos dispositivos eletrónicos aumenta os problemas relacionados com o sono ao inibir a produção de melatonina”, indicou um estudo publicado na revista Ophthalmic & Physiological Optics.

Uma equipa de investigadores da Universidade de Houston, nos Estados Unidos, recrutou 22 indivíduos, com idades entre os 17 e os 42 anos, e pediu-lhes que usassem óculos de bloqueio de ondas de comprimento curto, três horas antes de dormirem, durante duas semanas. Esses óculos anulavam os efeitos nefastos da luz azul artificial dos aparelhos. Os indivíduos usaram igualmente monitores de atividade do sono e foi-lhes pedido que mantivessem as suas rotinas normais durante o dia e noite, nomeadamente na utilização dos gadgets.

No final do estudo, os cientistas verificaram nos participantes um aumento de 58% nos níveis noturnos de melatonina, a hormona que regula e induz o sono. O aumento verificado foi ainda maior do que o oferecido pelos suplementos farmacológicos compostos por melatonina. Os participantes relataram também que tinham adormecido com mais rapidez e com menos interrupções. Em média, a duração do sono aumentou cerca de 24 minutos por noite por voluntário.

De acordo com o portal Sapo Lifestyle, “é importante destacar que a luz azul à noite realmente diminui a qualidade do sono. O sono é muito importante para a regeneração de muitas funções do nosso organismo”, comentou Lisa Ostrin, principal autora da investigação.

Saiba mais aqui.

28 Fevereiro 2018
Visão

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas

Inquérito avalia população sobre vista cansada

O Departamento de Saúde Visual da Essilor Portugal, dirigido por Alberto Silva, está a fazer um inquérito à população portuguesa para conhecer as opiniões e rotinas dos indivíduos potencialmente presbitas e tentar compreender os hábitos visuais de cada um, especialmente no atual contexto de pandemia.

Ler mais 20 Outubro 2020
Visão