“É uma forma mais cómoda de vender/comprar”

Imagem da notícia: “É uma forma mais cómoda de vender/comprar”

Do ponto de vista das óticas Conselheiros da Visão, “que têm o seu serviço de excelência muito apoiado no indivíduo e na personalização do atendimento, a internet dificilmente conseguirá transportar para o nosso cliente tipo toda a qualidade, eficiência e competências que os nossos profissionais colocam ao serviço da saúde ocular e, por isso, do nosso cliente”.

Rafael Claro da Silva, o presidente do grupo, afirmou que “o mundo de hoje move-se a uma velocidade enorme, em que a evolução e as necessidades do utilizador de meios refrativos exigem facilidade de procedimentos e rapidez.

Desta forma, a adaptação ao mundo virtual, mais que uma vantagem real, é uma imposição. Ainda que numa fase inicial, possuímos já a ferramenta de venda ‘online’, onde expomos os chamados produtos de elevada rotação que, no intervalo das reavaliações aconselhadas, somente repetem a referência que usam.

Trata-se de uma forma mais cómoda e confortável de vender/comprar, essencialmente pela ausência de deslocação a uma loja física”.

Toda a reportagem na ÓpticaPro 140!

26 Fevereiro 2015
Entrevistas

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas

Daniela Guerreiro: “O mercado da ótica mudou bastante”

Com uma recente remodelação, a Oculista Carioca, nos arredores de Sintra, está mais atrativa e funcional. Com “um serviço de qualidade, seriedade e profissionalismo”, Daniela Guerreiro, há 16 anos na empresa fundada pelo pai, reconhece que o mercado mudou bastante desde então.

Ler mais 20 Julho 2020
Entrevistas

“Iremos colocar em prática uma forte campanha de sensibilização”

Em meados de maio, a Associação Nacional dos Ópticos (ANO) apresentou os resultados do inquérito ao subsector de comércio a retalho de material ótico, pedido ao Centro de Estudos Aplicados (CEA) da Universidade Católica Portuguesa (UCP), com o objetivo de analisar o impacto da pandemia Covid-19 nesta área. Falámos com Fernando Tomaz, presidente da direção da ANO, para conhecermos as principais conclusões do estudo e as medidas que se impõem.

Ler mais 26 Junho 2020
Entrevistas