Usar Google aumenta risco de demência?

Imagem da notícia: Usar Google aumenta risco de demência?

Frank Gunn-Moore, professor e responsável pelos estudos relacionados com biologia na Universidade de St Andrews na Escócia, acredita que a forma como usamos os motores de busca aumenta o risco de demência, uma vez que preferimos recorrer ao Google em vez de usarmos o nosso próprio cérebro. “Quando queremos saber alguma coisa, pesquisamos online em vez de procurar a resposta na nossa memória”, acrescenta.

Segundo a revista Visão, Frank Gunn-Moore diz ainda que o ser humano, ao escolher não usar o cérebro, acaba por se tornar protagonista de uma experiência sobre a demência cujos resultados só serão visíveis a longo prazo. Atualmente, o ser humano prefere o caminho mais fácil ao invés de pensar por si, insiste o professor, citado pelo The Sunday Post. “É importante promover a saúde dos nossos cérebros e para isso precisamos de usá-los”, enfatiza o professor.

Saiba mais aqui.

13 Dezembro 2017
Atualidade

PUBLICIDADE
.....nome do evento, marca, etc.....
PUBLICIDADE
Vision Plus Expo 2021

Notícias relacionadas

“São 25 anos sempre com a missão de servir a Ergovisão”

Emídio Rodrigues é CEO do grupo Ergovisão e completou, este ano, 25 anos de carreira. Numa conversa com a ÓpticaPro, Emídio Rodrigues falou sobre a empresa, o trajeto profissional, as memórias e aprendizagens neste quarto de século de carreira, bem como da previsão para o futuro. O dia 1 de maio de 1996 marcou o início desta “história recheada de momentos”.

Ler mais 11 Junho 2021
AtualidadeEntrevistasRevista

Xperio – as lentes solares da Essilor

Rebranding, ligação emocional com os consumidores, reposicionamento da marca e novas soluções para o cliente, foram as novidades que a Essilor apresentou em formato digital para os profissionais e os media. A ÓpticaPro esteve lá e descreve-lhe algumas das novidades apresentadas.

Ler mais 11 Junho 2021
AtualidadeLentes

“Erros refrativos não compensados”, uma reflexão da Essilor

Para a Essilor “a taxa de renovação de óculos graduados é assustadoramente alongada no tempo, sendo, em Portugal, os 4/5 anos um valor perfeitamente enquadrado com a realidade”. o tema levanta dúvidas desde se “teremos a noção da alteração visual que o nosso sistema pode ter nesse período?” Perguntas que levam a respostas num artigo da grupo ótico.

Ler mais 10 Junho 2021
AtualidadeCuriosidade