Usar Google aumenta risco de demência?

Imagem da notícia: Usar Google aumenta risco de demência?

Frank Gunn-Moore, professor e responsável pelos estudos relacionados com biologia na Universidade de St Andrews na Escócia, acredita que a forma como usamos os motores de busca aumenta o risco de demência, uma vez que preferimos recorrer ao Google em vez de usarmos o nosso próprio cérebro. “Quando queremos saber alguma coisa, pesquisamos online em vez de procurar a resposta na nossa memória”, acrescenta.

Segundo a revista Visão, Frank Gunn-Moore diz ainda que o ser humano, ao escolher não usar o cérebro, acaba por se tornar protagonista de uma experiência sobre a demência cujos resultados só serão visíveis a longo prazo. Atualmente, o ser humano prefere o caminho mais fácil ao invés de pensar por si, insiste o professor, citado pelo The Sunday Post. “É importante promover a saúde dos nossos cérebros e para isso precisamos de usá-los”, enfatiza o professor.

Saiba mais aqui.

13 Dezembro 2017
Atualidade

Notícias relacionadas

Plano de contingência: comunicado HOYA

Carlos Matos, country manager da HOYA Portugal, dirige-se a todos os clientes e profissionais do setor, no seguimento do novo confinamento geral decretado pelo Governo.

Ler mais 14 Janeiro 2021
AtualidadeLentes

Novo confinamento: óticas mantêm portas abertas

O Governo já anunciou as medidas do novo confinamento geral para um combate necessário ao avultado número de infetados com Covid-19. Na generalidade, voltam a ser aplicadas as regras do primeiro confinamento, altura em que as óticas foram consideradas serviços essenciais e puderam abrir ao público.

Ler mais 14 Janeiro 2021
Atualidade