Alcon e a Semana Mundial do Glaucoma

Imagem da notícia: Alcon e a Semana Mundial do Glaucoma

Durante a Semana Mundial do Glaucoma, que se assinalou de 6 a 12 de março, a Alcon alertou para a prevenção da doença que afeta 67 milhões de pessoas em todo o mundo.

O tratamento da doença nutre maior efeito se for diagnosticada preconcemente. Mas metade dos doentes nem sempre tem consciência que sofre de glaucoma, segundo a marca adianta, pelo que mais de 30 milhões de pessoas estão a perder a visão lentamente sem terem essa consciência, o que pode mesmo provocar a cegueira, daí a nomenclatura “ladrão silencioso da visão”.

“O glaucoma pode permanecer silencioso e, portanto, não diagnosticado durante anos até a visão se começar a deteriorar, logo os exames regulares à visão são a única forma de detetar esta doença ocular cedo o suficiente para ser devidamente tratada”, diz José Moura Pereira, oftalmologista no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e coordenador do Grupo Português do Glaucoma.

“Não existe, hoje, uma cura para o glaucoma, mas com um tratamento eficaz é possível atrasar a sua progressão. Uma pressão ocular elevada é o fator de risco, sobre o qual se pode atuar, mais importante para o glaucoma. Portanto, manter a pressão ocular sob controlo é a chave para ajudar os pacientes de glaucoma a preservar a sua visão”, concluiu o profissional.

Os tratamentos incluem gotas oculares, medicamentos orais, como também cirurgias. Portadores de diabetes, hipertensão arterial, doenças cardíacas, mais idosos, afrodescentes com mais de 40, descendentes asiáticos (gluacoma de ângulo fechado), e ex-consumidores de esteroides, devem consultar um especialista pois têm risco acrescido de contrair glaucoma.

 

17 Março 2016
Atualidade

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas