Portugueses adiam cuidados de saúde visual por questões monetárias

Imagem da notícia: Portugueses adiam cuidados de saúde visual por questões monetárias

Cerca de 31 por cento dos portugueses já adiaram cuidados de saúde visual devido a questões monetárias, revela o estudo internacional “Healthy Sight Survey”, promovido pela Transitions Optical, empresa de lentes fotocromáticas, avança o Sapo Saúde.

O estudo foi realizado em 2010 pela Ipsos Health a cerca de 9000 pessoas em oito países, nomeadamente França, Holanda, Espanha, Portugal, África do Sul, Alemanha, Inglaterra e Itália.

Na análise, verificou-se que os portugueses adiaram consultas para fazer um ‘check-up’ visual ou para comprarem armações e lentes oftálmicas de prescrição médica.

9 Novembro 2011
Atualidade

Notícias relacionadas

Plano de contingência: comunicado HOYA

Carlos Matos, country manager da HOYA Portugal, dirige-se a todos os clientes e profissionais do setor, no seguimento do novo confinamento geral decretado pelo Governo.

Ler mais 14 Janeiro 2021
AtualidadeLentes

Novo confinamento: óticas mantêm portas abertas

O Governo já anunciou as medidas do novo confinamento geral para um combate necessário ao avultado número de infetados com Covid-19. Na generalidade, voltam a ser aplicadas as regras do primeiro confinamento, altura em que as óticas foram consideradas serviços essenciais e puderam abrir ao público.

Ler mais 14 Janeiro 2021
Atualidade