Well’s entra no mercado da audiologia

Imagem da notícia: Well’s entra no mercado da audiologia

A Well’s, marca especialista em saúde, beleza e bem-estar, acaba de aumentar a sua oferta, com o lançamento do serviço de audiologia. Este novo serviço pretende assegurar o acesso de todos os portugueses com perda auditiva a aparelhos auditivos com preços baixos, simples e transparentes. 

A marca irá oferecer uma gama de alargada de aparelhos auditivos extensíveis a todo o tipo de perdas auditivas, a partir de 780€. Para garantir a adaptação aos aparelhos, a Well’s oferece aindaexperimentação gratuitadurante 15 dias, reprogramações anuais, assistência pós-venda e oferta de pilhaspara os aparelhos durante os primeiros dois anos. Esta oferta com preços claros e totalmente transparentes é reforçada com consultas de audiologia gratuitas, diagnosticando o grau de perda auditiva de cada paciente.

De acordo com João Cília, diretor-geral da Well’s, “depois da aposta na ótica, a audiologia é um mercado onde a necessidade de democratização de acessos é essencial. Por isso, não poderíamos ignorar esta realidade e procurámos, uma vez mais, oferecer a melhor resposta aos portugueses. Não só a audição é uma temática que afeta uma parte considerável da população, como a oferta que vamos disponibilizar se distingue em termos de preço-qualidade face ao que já existe no mercado. Deste modo reforçamos a nossa posição enquanto marca especialista em saúde e bem-estar, com uma oferta de serviços e produtos cada vez mais sólida, sempre aos melhores preços”.

20 Março 2019
Atualidade

Notícias relacionadas

Plano de contingência: comunicado HOYA

Carlos Matos, country manager da HOYA Portugal, dirige-se a todos os clientes e profissionais do setor, no seguimento do novo confinamento geral decretado pelo Governo.

Ler mais 14 Janeiro 2021
AtualidadeLentes

Novo confinamento: óticas mantêm portas abertas

O Governo já anunciou as medidas do novo confinamento geral para um combate necessário ao avultado número de infetados com Covid-19. Na generalidade, voltam a ser aplicadas as regras do primeiro confinamento, altura em que as óticas foram consideradas serviços essenciais e puderam abrir ao público.

Ler mais 14 Janeiro 2021
Atualidade