“Esta fábrica irá produzir mais óculos graduados que todo o mercado português consome num ano!”

Imagem da notícia: “Esta fábrica irá produzir mais óculos graduados que todo o mercado português consome num ano!”

Será em Pedroso, Vila Nova de Gaia, que vai estar a segunda maior unidade de fabrico da GrandVision. Falámos com Rui Borges, CEO do grupo em Portugal, que nos contou o porquê deste investimento na ordem dos milhões de euros.

ÓpticaPro: Porquê abrir uma nova unidade de produção do grupo, especialmente em Portugal?

Rui Borges: Foi acima de tudo uma decisão estratégica da empresa a nível internacional, que assenta no objetivo de concentrar a produção de óculos graduados, permitindo ao grupo assegurar um melhor controlo de qualidade dos produtos e também do serviço prestado ao cliente. É um investimento que envolve largos milhões de euros e cuja decisão foi efetuada mediante uma tomada de consciência dos custos de produção, especialmente no caso dos óculos graduados. Na prática, a fábrica de Pedroso é uma réplica da que existe em França. Já estava previsto construir uma unidade de produção na Península Ibérica, inicialmente em Espanha. No entanto, o ‘management team’ da GrandVision em Portugal considerou que o nosso país reunia profissionais com um bom ‘know-how’ e o facto de já existir uma pequena unidade de produção localizada no Porto, perto do Marquês, que providenciava as melhores condições para abraçar um projeto desta magnitude, foi também determinante. Assim sendo, submetemos a candidatura no final do verão do ano passado e foi com enorme agrado que recebemos a notícia de que a fábrica ia efetivamente ficar alojada em Portugal. Esta é mais uma prova de que o nosso país, ao contrário do que é a “voz corrente”, tem boas condições para atrair investimento e, quando nos esforçamos, conseguimos.”

Leia toda a entrevista na ÓpticaPro 135, aqui.

12 Agosto 2014
Atualidade

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas