Universidade do Minho responde às acusações da SPO

Imagem da notícia: Universidade do Minho responde às acusações da SPO

A Universidade do Minho vem esclarecer as acusações que colocam em causa a formação superior em optometria e ciências da visão.

  • A Universidade do Minho, na área da optometria e ciências da visão, oferece formação ao nível de licenciatura desde 1988, de mestrado desde 2009 e de doutoramento desde 2013. 
  • O curso de licenciatura em optometria e ciências da visão está catalogado pela Direção Geral do Ensino Superior na área da saúde. É, portanto, falso que o curso em questão não se enquadre no âmbito da saúde. Aliás, é isso que acontece em todo o mundo, incluindo, entre muitos outros países, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos da América.
  • Durante 30 anos de formação em optometria, foram formados mais de 500 licenciados num curso de 4,5 anos, que incluiu estágio curricular, e mais 220 outros que, tendo concluído a licenciatura de 3 anos determinada pela concretização do Processo de Bolonha, cumpriram a seguir 1 ano ou 2 anos de mestrado e/ou realizaram doutoramento. Em consequência, 70% dos licenciados têm 4 ou mais anos de formação, sendo que a sua imensa maioria concluiu estágio curricular ou estágio em contexto de pré-registo na associação profissional. Portanto, é manifestamente falsa a afirmação de que, “no melhor dos casos, os optometristas têm um curso de 3 anos”.
  • A Universidade do Minho entende que urge regulamentar a profissão a bem do bom nome e competências dos profissionais formados nas universidades, e, acima de tudo, a bem dos utentes e da opinião pública. 
  •  A Universidade do Minho tem visto os seus graduados serem contratados por consultórios de oftalmologia, na rede pública ou, principalmente, na rede privada, o que revela a capacidade de integração destes profissionais em equipas multidisciplinares, contribuindo com saberes e práticas optométricas que em muito beneficiam a produtividade daquelas equipas. Interrogamo-nos, por isso, por que razão não podem estes profissionais ser considerados no âmbito dos cuidados primários de saúde, tão deficitário nesta vertente, como demonstra e reconhece o último relatório para a Estratégia para a Saúde da Visão em Portugal.
  • É fundada convicção da Universidade do Minho que os milhares de consultas já realizadas pelos nossos graduados em optometria em muito têm contribuído para melhorar a qualidade de vida da população portuguesa. A Universidade do Minho tem muito orgulho nos optometristas que forma e na qualificação de nível internacional que lhes proporciona, bem como na atualização científica e clínica que lhes assegura, recorrendo a programas de formação pós-graduada diversos e de reconhecida qualidade.

Consulte o esclarecimento da Universidade do Minho na íntegra, prestado à comunidade académica, aqui.

27 Novembro 2018
AtualidadeVisão

PUBLICIDADE
Silmo Paris
`

Notícias relacionadas

EssilorLuxottica interessada em comprar GrandVision

O grupo, que se constituiu em outubro de 2018 através da fusão da Essilor com a Luxottica, está a considerar comprar parte do grupo de ótica GrandVision N.V., informou a Bloomberg esta quarta-feira.

Ler mais 19 Julho 2019
AtualidadeGrupos de ótica

Quer ser um “Be My Eyes”?

Be My Eyes é uma aplicação móvel através da qual voluntários de todo o mundo ajudam pessoas invisuais a completar pequenas tarefas, por meio de uma simples vídeochamada. O objetivo deste projeto é tornar o mundo mais acessível a pessoas cegas ou com baixa visão.

Ler mais 18 Julho 2019
Visão

Fumar é tão prejudicial para os olhos como para os pulmões

Fumar é tão prejudicial para os olhos como para pulmões, mas poucas pessoas parecem estar conscientes deste facto. O aviso é da Associação de Optometristas do Reino Unido que concluiu que apenas uma em cada cinco pessoas reconhece que fumar pode levar à cegueira.

Ler mais 16 Julho 2019
Visão