Opticwin, o software para ótica

Imagem da notícia: Opticwin, o software para ótica

Fundada em 1995 pelo empreendedorismo de dois amigos, a SPJ é hoje uma empresa de sucesso em Portugal no ramo das soluções de informática, tecnologia e conteúdos para o setor da ótica. Pedro Louro, um dos sócios-gerentes, falou-nos sobre o Opticwin, o software dirigido a este setor.

ÓpticaPro: Como nasceu a SPJ?
Pedro Louro: Em 1995, eu e o meu sócio João Pedro Soares, criámos uma empresa de informática numa fase em que esta área era relativamente recente. No início, a empresa focou-se em três áreas de atuação: contabilidade, informática e comunicações, na altura em parceria com a já extinta Telecel, que deu origem à atual Vodafone. Em 1996 fomos convidados para sermos parceiros de uma software-house ligada ao setor das óticas e foi essa a rampa de lançamento e início do nosso percurso na área da programação e desenvolvimento de software. 1999 foi um marco para nós, especializámo-nos em informática e neste nicho de mercado, por sentirmos que havia lacunas neste setor. Lançámos o primeiro software em ambiente gráfico Windows, pondo fim aos habituais ecrãs azuis. Em 2000, fruto do pseudo-bug desse ano, assistimos a um crescimento enorme da SPJ. Têm sido 17 anos a pautar instalações de norte a sul do país, sempre em crescimento.

OP: O Opticwin, software dirigido para as óticas, existe há quase 20 anos. Como surgiu a ideia de o criar?
PL: Foi um software que teve logo um grande sucesso no início, foi uma revolução. Trouxe como vantagens a simplicidade, a possibilidade de poder trabalhar com o rato, aceder ao conteúdo que queríamos diretamente no ecrã. É um software único, desenhado para o setor da ótica, desenvolvido com soluções específicas para esta área, com módulos de gestão. Quando os nossos clientes veem o Opticwin, sentem que os processos estão desenhados e definidos para trabalho do dia-a-dia numa ótica, adaptando-se a óticas maiores ou mais pequenas.

OP: Quais os vossos principais clientes?
PL: Trabalhamos em cerca de mil pontos de venda. Somos o parceiro na área da informática do grupo Optivisão, do Oculista das Avenidas, Fábrica de Óculos do Cacém, Optiframa, Óptica Parente, Centro Óptico de Angola… Todos assentam os seus processos no Opticwin. A nível internacional estamos presentes em Angola, Moçambique, Cabo Verde e Marrocos. Este ano abrimos um escritório em Madrid e São Paulo, dois novos mercados que estamos a trabalhar. O futuro da empresa passa por implementar uma SPJ com parcerias interessantes nestes mercados. No Brasil as óticas são muito diferentes, com múltiplos pontos de venda. É um país num mau momento, mas com grande capacidade de se reerguer.

Entrevista completa na ÓpticaPro 173.

18 Outubro 2017
Entrevistas

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas

Daniela Guerreiro: “O mercado da ótica mudou bastante”

Com uma recente remodelação, a Oculista Carioca, nos arredores de Sintra, está mais atrativa e funcional. Com “um serviço de qualidade, seriedade e profissionalismo”, Daniela Guerreiro, há 16 anos na empresa fundada pelo pai, reconhece que o mercado mudou bastante desde então.

Ler mais 20 Julho 2020
Entrevistas

“Iremos colocar em prática uma forte campanha de sensibilização”

Em meados de maio, a Associação Nacional dos Ópticos (ANO) apresentou os resultados do inquérito ao subsector de comércio a retalho de material ótico, pedido ao Centro de Estudos Aplicados (CEA) da Universidade Católica Portuguesa (UCP), com o objetivo de analisar o impacto da pandemia Covid-19 nesta área. Falámos com Fernando Tomaz, presidente da direção da ANO, para conhecermos as principais conclusões do estudo e as medidas que se impõem.

Ler mais 26 Junho 2020
Entrevistas