“Sinto uma espécie de quase vergonha alheia”

Imagem da notícia: “Sinto uma espécie de quase vergonha alheia”

Carlos Alves, responsável pela petição pública “Óculos só em Ópticas”, explicou-nos em entrevista o porquê desta iniciativa.

“Porque sinto indignação. Porque sinto uma espécie de quase vergonha alheia. Porque me sinto de mãos atadas contra um negócio paralelo sem rei nem roque. Porque as pessoas são efetivamente lesadas diariamente. Porque se não compramos colchões nas sapatarias, se não compramos carne nas livrarias, se não compramos sapatos nas pastelarias, ou telemóveis nos talhos, porque podemos comprar óculos de sol e/ou graduados em quiosques, farmácias, bazares orientais (vulgo chineses), hipermercados/supermercados, papelarias, boutiques, relojoarias, lojas de roupa, grandes armazéns, lojas de eletrónica, revistas (que vendem óculos por “apenas” mais “X” euros)?”.

Saiba mais na ÓpticaPro 148!

21 Setembro 2015
Entrevistas

PUBLICIDADE
Hoya DIA MUNDIAL DE LA VISION
PUBLICIDADE
MIDO

Notícias relacionadas

“Este projeto nasce do amor à ótica”

Com o lema “Tratamos os seus olhos com amor”, Alexandra Leocádio decidiu inaugurar a Holy Eyes no Prior Velho no início de setembro, após 24 anos no mercado da ótica. Um novo espaço dedicado à comunidade, com o foco no controlo e prevenção da miopia entre os mais novos.

Ler mais 17 Novembro 2022
Entrevistas

Óptica Euronítida “sopra” 18 velas

Foi em julho que a Óptica Euronítida celebrou o seu 18º aniversário. Situada em Alfena, esta ótica familiar prima, segundo o seu fundador, pelo “rigor e honestidade, credibilidade, responsabilidade, inovação, domínio dos conhecimentos de ótica, solidez e rentabilidade económica”.

Ler mais 11 Novembro 2022
Entrevistas