“Sou defensor do comércio tradicional”

Imagem da notícia: “Sou defensor do comércio tradicional”

Deslocámo-nos ao Alentejo, mais propriamente ao distrito de Beja, para entrevistar Júlio Azevedo.

O proprietário do Centro Óptico de Almodôvar falou-nos das razões que o levaram a associar-se ao Institutoptico.

Entre os vários motivos apontados, a “família” que se criou à volta do grupo cem por cento português é a que assume maior peso.

Com 33 anos de experiência na área da Óptica, Júlio Azevedo aderiu ao Institutoptico há cerca de duas décadas. “Não faço parte do grupo de ópticos fundadores. Fui convidado a integrar o Institutoptico já após a saída do senhor Aníbal, que esteve ligado à criação do grupo. Apareceu depois uma nova gerência, que pensou em alargar o leque de associados e foi nessa altura que aderi. No Institutoptico, grupo cem por cento português, somos todos iguais. Isto é muito importante para o espírito de grupo, de família, evitando-se assim concorrência desnecessária entre nós. Mais do que ópticos, temos uma ligação familiar”, começou por nos dizer o responsável pelo Centro Óptico de Almodôvar.

Leia a reportagem na íntegra na ÓpticaPro 137, aqui.

1 Outubro 2014
Atualidade

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas