“A Gestão e Liderança Feminina em Portugal”

Imagem da notícia: “A Gestão e Liderança Feminina em Portugal”

Portugal tem uma população ativa de 5,5 milhões, dos quais 47 por cento são mulheres. O objetivo deste estudo foi saber como se reflete na liderança de todas as empresas portuguesas ativas esta relação absoluta entre os géneros.

As mulheres ocupam 31,1 por cento das funções de gestão e direção e lideram 26,8 por cento das empresas portuguesas. De 2010 para 2012 a presença feminina na gestão e liderança aumentou um ponto percentual.

As variações relativamente a 2010 e 2011 são invariavelmente positivas, em todos os aspetos analisados. O processo de feminização da gestão avança, de resto, mais depressa em cada ano que passa, uma vez que o aumento da participação feminina na gestão e liderança em 2012 foi superior ao aumento registado em 2011.

É nas empresas jovens (com menos de cinco anos) que a presença feminina na gestão e liderança é maior e é nas grandes empresas que a mesma presença é menor. Há uma relação direta entre a participação feminina na gestão e a liderança feminina: quanto maior é a participação na gestão, maior é a liderança feminina.

A taxa mais baixa de participação feminina regista-se nas sociedades anónimas. Os respetivos conselhos de administração apenas incluem 18,9 por cento de mulheres, e a liderança deste órgão de gestão é assegurada por mulheres em apenas 14,4 por cento das empresas. No entanto, em apenas dois anos, a liderança feminina dos conselhos de administração passou de 12,2 por cento para 14,4 por cento.

A mudança nos últimos dois anos aponta claramente no sentido do equilíbrio de género, em todos os aspetos. O processo é seguramente irreversível, mas é impossível determinar se o equilíbrio se alcançará numa só década ou mais.

 

8 Março 2013
Atualidade

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas