“2011 foi o ano da internacionalização da Opti Munich ”

Imagem da notícia: “2011 foi o ano da internacionalização da Opti Munich ”

Claudia Weidner, ‘project manager’ da feira de Munique, falou com a ÓpticaPro e explicou os meandros da edição de 2012 da Opti Munich, Feira Internacional de Tendências da Indústria Óptica.

ÓpticaPro: A edição de 2011 da Opti Munich foi um sucesso. A que se deveu este êxito?

Claudia Weidner: A grande razão reside na colaboração constante entre a organização da feira e a indústria de óptica, através de um contacto muito intenso que se estabeleceu. Neste sentido, a Opti atraiu mais fãs. E porquê? Nesta edição, registámos um aumento do número de expositores estrangeiros. Um total de 470 empresas internacionais apresentou uma gama completa de lentes de contacto, armações e equipamentos. Aliás, conseguimos em 2011 que os visitantes internacionais voltassem à Opti e que não ficássemos apenas pelos profissionais alemães. 2011 foi, sem dúvida, o ano da internacionalização da feira.

OP: Em termos de números, isso reflecte-se em quê?

CW: Com quase um quarto do total de visitantes vindos do estrangeiro, a Opti registou um forte crescimento a este nível. Ao todo, viajaram até Munique 22.700 visitantes de 69 países da Europa, Ásia e América.

OP: E os profissionais portugueses constituem um grupo importante para a feira de Munique?

CW: Sem dúvida, achamos que o mercado português apresenta um grande potencial. O nosso objectivo é aumentar ainda mais o número de visitantes de profissionais lusos. Aliás, a data da feira é crucial. Os ópticos podem, logo em Janeiro, apreciar toda a gama de armações de prescrição, óculos de sol, lentes e equipamentos.

 

 

 

17 Outubro 2011
Entrevistas

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas

Daniela Guerreiro: “O mercado da ótica mudou bastante”

Com uma recente remodelação, a Oculista Carioca, nos arredores de Sintra, está mais atrativa e funcional. Com “um serviço de qualidade, seriedade e profissionalismo”, Daniela Guerreiro, há 16 anos na empresa fundada pelo pai, reconhece que o mercado mudou bastante desde então.

Ler mais 20 Julho 2020
Entrevistas

“Iremos colocar em prática uma forte campanha de sensibilização”

Em meados de maio, a Associação Nacional dos Ópticos (ANO) apresentou os resultados do inquérito ao subsector de comércio a retalho de material ótico, pedido ao Centro de Estudos Aplicados (CEA) da Universidade Católica Portuguesa (UCP), com o objetivo de analisar o impacto da pandemia Covid-19 nesta área. Falámos com Fernando Tomaz, presidente da direção da ANO, para conhecermos as principais conclusões do estudo e as medidas que se impõem.

Ler mais 26 Junho 2020
Entrevistas