“Os ópticos deveriam ser mais unidos”

ÓpticaPro: Como começou a história da óptica Olhar de Prata?

Tiago Alves: A Carl Zeiss sabia do nosso interesse em abrir um espaço em Lisboa e propôs-nos sermos os primeiros a ter uma óptica Carl Zeiss Vision. Foi-nos apresentado este espectacular projecto que é hoje a Olhar de Prata.

OP: Um ano após a inauguração, que balanço fazem da actividade da loja?

Cátia Silva: Estamos bastante surpreendidos com a dimensão que o nome Olhar de Prata está a tomar. Apesar do principal objectivo da Olhar de Prata ser a diferenciação e a perfeição, não estávamos à espera que a publicidade “boca-a- boca” nos trouxesse clientes dos vários pontos do país. A abertura deste espaço foi, de facto, marcada em 2010 por um ‘cocktail’ que juntou várias caras conhecidas do panorama nacional e nomes marcantes do mundo da óptica. Com uma imagem cuidada e distinta, fruto da parceria com a empresa de ‘design’ Artefacto, a óptica espelha o estilo e vontade dos seus dois proprietários, com o claro objectivo de marcar a diferença. Uma aposta de sucesso que desde o ano passado está no coração de Lisboa a melhorar o olhar de quem lá passa.

OP: O espaço advém de um projecto cuidado e artístico. Porquê esta grande aposta na imagem?

TA: Uma das exigências do projecto era não parecermos mais “uns” e creio que isso ficou patente no resultado final. A diferenciação assume-se algo indispensável para sobressairmos no mercado.

OP: Relativamente à presença exclusiva da Carl Zeiss Vision na Olhar de Prata, que mais-valias advêm desta parceria?

CS: Trabalhamos com todos os fornecedores e o cliente é soberano na escolha da marca. No entanto, quem procura a Olhar de Prata, procura marcas ‘premium’ e de qualidade acima da média, daí a associação com a Carl Zeiss Vision fazer todo o sentido.

OP: A postura da generalidade das empresas de óptica face à crescente concorrência baseia-se ou em descontos ou na segmentação máxima da sua oferta. Para qual destas estratégias pende a Olhar de Prata?

TA: Muito sinceramente para nenhuma das duas. Desde que a Olhar de Prata abriu temos vindo a reduzir o número de marcas e a tornar-nos mais selectivos nas escolhas. Os descontos só descredibilizam o negócio. Felizmente quem procura qualidade, geralmente não procura nas “lojas de descontos”.

 

Entrevista na íntegra na ÓpticaPro 93

19 Julho 2011
Entrevistas

PUBLICIDADE
.....nome do evento, marca, etc.....
PUBLICIDADE
Vision Plus Expo 2021

Notícias relacionadas

“São 25 anos sempre com a missão de servir a Ergovisão”

Emídio Rodrigues é CEO do grupo Ergovisão e completou, este ano, 25 anos de carreira. Numa conversa com a ÓpticaPro, Emídio Rodrigues falou sobre a empresa, o trajeto profissional, as memórias e aprendizagens neste quarto de século de carreira, bem como da previsão para o futuro. O dia 1 de maio de 1996 marcou o início desta “história recheada de momentos”.

Ler mais 11 Junho 2021
AtualidadeEntrevistasRevista

“É indescritível sentir que com pouco mudamos a vida de alguém”

Apaixonados por viagens e ligados ao mundo da ótica, Ana Carvalho e Vítor Martins são pessoas inspiradoras, que aliam o gosto de viajar à ajuda ao próximo. Numa conversa com a ÓpticaPro, os proprietários da Ótica Maxivisão desvendaram-nos as suas aventuras e missões em conjunto, para além da história da marca. Apesar de a pandemia associada ao novo coronavírus ter adiado alguns sonhos, de uma coisa estão seguros: não os parou.

Ler mais 27 Abril 2021
EntrevistasRevista

Criador da Police Eyewear muda-se para Portugal

O designer e criador da marca Police Eyewear, Bruno Palmegiani, decidiu mudar-se de armas e bagagens para Lisboa no ano passado, onde tenciona colocar em prática algumas ideias e projetos quando a pandemia o permitir.

Ler mais 22 Fevereiro 2021
Entrevistas