“Os ópticos deveriam ser mais unidos”

ÓpticaPro: Como começou a história da óptica Olhar de Prata?

Tiago Alves: A Carl Zeiss sabia do nosso interesse em abrir um espaço em Lisboa e propôs-nos sermos os primeiros a ter uma óptica Carl Zeiss Vision. Foi-nos apresentado este espectacular projecto que é hoje a Olhar de Prata.

OP: Um ano após a inauguração, que balanço fazem da actividade da loja?

Cátia Silva: Estamos bastante surpreendidos com a dimensão que o nome Olhar de Prata está a tomar. Apesar do principal objectivo da Olhar de Prata ser a diferenciação e a perfeição, não estávamos à espera que a publicidade “boca-a- boca” nos trouxesse clientes dos vários pontos do país. A abertura deste espaço foi, de facto, marcada em 2010 por um ‘cocktail’ que juntou várias caras conhecidas do panorama nacional e nomes marcantes do mundo da óptica. Com uma imagem cuidada e distinta, fruto da parceria com a empresa de ‘design’ Artefacto, a óptica espelha o estilo e vontade dos seus dois proprietários, com o claro objectivo de marcar a diferença. Uma aposta de sucesso que desde o ano passado está no coração de Lisboa a melhorar o olhar de quem lá passa.

OP: O espaço advém de um projecto cuidado e artístico. Porquê esta grande aposta na imagem?

TA: Uma das exigências do projecto era não parecermos mais “uns” e creio que isso ficou patente no resultado final. A diferenciação assume-se algo indispensável para sobressairmos no mercado.

OP: Relativamente à presença exclusiva da Carl Zeiss Vision na Olhar de Prata, que mais-valias advêm desta parceria?

CS: Trabalhamos com todos os fornecedores e o cliente é soberano na escolha da marca. No entanto, quem procura a Olhar de Prata, procura marcas ‘premium’ e de qualidade acima da média, daí a associação com a Carl Zeiss Vision fazer todo o sentido.

OP: A postura da generalidade das empresas de óptica face à crescente concorrência baseia-se ou em descontos ou na segmentação máxima da sua oferta. Para qual destas estratégias pende a Olhar de Prata?

TA: Muito sinceramente para nenhuma das duas. Desde que a Olhar de Prata abriu temos vindo a reduzir o número de marcas e a tornar-nos mais selectivos nas escolhas. Os descontos só descredibilizam o negócio. Felizmente quem procura qualidade, geralmente não procura nas “lojas de descontos”.

 

Entrevista na íntegra na ÓpticaPro 93

19 Julho 2011
Entrevistas

Notícias relacionadas

Criador da Police Eyewear muda-se para Portugal

O designer e criador da marca Police Eyewear, Bruno Palmegiani, decidiu mudar-se de armas e bagagens para Lisboa no ano passado, onde tenciona colocar em prática algumas ideias e projetos quando a pandemia o permitir.

Ler mais 22 Fevereiro 2021
Entrevistas

“Nunca mais vamos voltar a trabalhar como antigamente”

Confesso otimista, irrequieto e ambicioso, Rui Motty é uma pessoa inspiradora, característica própria dos líderes. Numa longa conversa com a ÓpticaPro, o diretor da Optocentro desvendou-nos as novidades da empresa, para além das soluções para os obstáculos provocados pela pandemia associada ao novo coronavírus. De uma coisa está certo: nada voltará a ser como antes.

Ler mais 20 Janeiro 2021
Entrevistas

Rui Motty em entrevista

Confesso otimista, irrequieto e ambicioso, Rui Motty é uma pessoa inspiradora, característica própria dos líderes. Numa longa conversa com a ÓpticaPro, o diretor da Optocentro desvendou-nos as novidades da empresa, para além das soluções para os obstáculos provocados pela pandemia associada ao novo coronavírus.

Ler mais 21 Dezembro 2020
Entrevistas