“Temos uma óptica inovadora”

ÓpticaPro: A localização privilegiada potenciou o sucesso da Óptica Conde de Redondo?

Sérgio Penedo: Sim, foi uma das variáveis importantes, mas não fundamental. Actualmente, o factor localização é essencial quando se abre um negócio. No nosso caso, o serviço e o ‘mix’ dos artigos comercializados assumiu-se preponderante para adquirirmos a quota de mercado que detemos.  E a comprová-lo está o facto de esta rua ter hoje poucas casas comerciais abertas e os nossos clientes continuarem a privilegiar a Óptica Conde de Redondo como a sua loja de óptica.

OP: Para além da excelência do serviço, que estratégia usaram para a captação e fidelização da longa carteira de clientes?

Hugo Frederique: A Óptica Conde de Redondo tem procurado, desde sempre, uma grande aproximação com o seu cliente. Servi-lo melhor, e ir ao encontro das suas necessidades, revela-se para a nossa óptica a linha mestra de acção, presidindo às suas decisões estratégicas.A ideia é que a satisfação da necessidade do cliente não se limite à mera aquisição de um produto, mas também inclua a garantia de qualidade dos materiais, um serviço de atendimento e informação completo, de elevada competência técnica e atencioso, bem como a concepção de um espaço agradável e de um ambiente acolhedor para o cliente. Esta política tem obtido resultados excelentes. O volume de vendas atingido pela empresa é prova disso, o que encorajou os responsáveis da Óptica Conde de Redondo a mantê-la e reforçá-la.

 

OP: A empresa foi pioneira em muitas vertentes…

SP: Sim, iniciou em 1970 trabalhos no campo da optometria e contactologia, o que obrigou à aquisição de todo o equipamento necessário para o efeito. Outra actividade que ganhou peso, dada a evolução do mercado, foi a contactologia, ou seja, adaptação de lentes de contacto.  Qualquer uma destas actividades implica o domínio de conhecimentos técnicos específicos e a utilização de material de oficina adequado, bem como a exigência de consultórios nas lojas. De facto, a evolução tecnológica fez surgir novos equipamentos e a nossa empresa não se abstraiu dessa realidade, tendo desde o início enveredado pela aquisição de equipamentos evoluídos que lhe permitissem servir melhor o cliente e, simultaneamente, gerir mais eficientemente os recursos humanos, aumentando assim a sua produtividade.


OP: Ao nível da comunicação com o público, a Óptica Conde de Redondo foi também inovadora…

HF: Sem dúvida! Em 1990, a empresa abriu uma Galeria de Arte, na cave do seu estabelecimento, que tem ligação directa à área de atendimento ao público da óptica. A Galeria de Arte Óptica Conde de Redondo, ao longo de vários anos possibilita uma oferta cultural diversificada no campo das Artes, reunindo um calendário artístico apoiado em diversos suportes culturais que possibilitaram um convívio singular entre o artista, a sua obra e o visitante, quer com nomes conhecidos do nosso mercado quer com a apresentação de novos valores. Desta forma, a empresa promoveu a própria óptica associando-a ainda a um público com maior poder de compra.

 

Entrevista integral na ÓpticaPro 92

3 Junho 2011
Entrevistas

PUBLICIDADE
Oporto Optics Summit 2024
PUBLICIDADE
Bausch+Lomb

Notícias relacionadas

“Procuramos estar na vanguarda da evolução”

José e Abel Costa abriram-nos as portas da sua ótica em Braga no rescaldo de uma remodelação total. Pai e filho falaram com a ÓpticaPro sobre o negócio familiar, sobre as parcerias que mantêm e os desejos para o futuro, destacando a aquisição de um novo equipamento da Essilor.

Ler mais 4 Abril 2024
Entrevistas

“Projetamos neste espaço toda a nossa ambição”

Muito mais do que o lugar de trabalho, partilhamos um conceito de vida empresarial alinhado com a diversidade, equidade, inclusão (DEI) e economia circular. Rui Motty, CEO da empresa, falou com a ÓpticaPro em exclusivo para “mostrar ao mundo a visão de 360º” da Optocentro 2050.

Ler mais 21 Março 2024
Entrevistas