“Tecnologia ‘made in France’”

Imagem da notícia: “Tecnologia ‘made in France’”

ÓpticaPro: Desenvolvem tecnologia de topo em lentes oftálmicas. Como conseguem manter a grande qualidade a um preço tão competitivo?

Jenkiz Saillet: A implantação do nome Novacel prende-se exactamente com os nossos produtos de qualidade e a nossa forma de trabalhar. Actuamos de forma distinta para sobrepor as dificuldades do mercado. Neste sentido, mesmo com o preço elevado da tecnologia Free-Form, optamos por diminuir a margem de lucro durante os próximos três anos, até conseguirmos ganhar um maior arcaboiço. Depois, as margens crescerão naturalmente, assim como o estabelecimento da nossa marca por toda a Europa.


 


OP: Como está a correr a implantação da marca em território francês? É um mercado difícil?


JS: Não propriamente, já que existem apenas cinco grandes empresas em França. Cada firma possui a sua forma de trabalhar e o seu público-alvo.


 


OP: Dizia isto do mercado difícil por causa da Essilor…


JS: De facto, a Essilor é a grande marca em França, tal como em outros países no resto do mundo. Contudo, as pessoas que trabalham com esta empresa laboram com o seu nome e, com a crise económica estabelecida, muitas lojas escolhem marcas como a Novacel. Qualquer firma que tencione actuar no mercado de lentes oftálmicas terá sempre que oferecer qualidade, preço e logística. E na realidade a Novacel possui um excelente produto a um baixo custo, o que significa uma boa oportunidade de negócio para todos os que se preocupam com o factor preço.


 


OP: A Novacel está a ganhar terreno a cada dia que passa…


JS: Sim, pois desde que foi fundada em 1994, a empresa progride todos os dias. Actualmente, assume-se como o terceiro maior laboratório francês, em termos de número de lentes vendidas. Ao contrário dos seus concorrentes europeus, a Novacel cresceu 13 por cento em 2008 e está, cada vez mais, a conquistar uma grande fatia do mercado gaulês.


 


OP: O que motiva este desenvolvimento?


JS: A razão para este sucesso está patente na filosofia que defendemos. Ao invés das multinacionais do sector óptico, que produzem a maioria dos produtos em território asiático, toda a gama de lentes progressivas de tecnologia Free-Form da Novacel são ‘made in France’, no laboratório de Chateau-Thierry. Graças a esta forma de trabalhar, possuímos já 30 por cento do mercado dos ópticos independentes em França.


 


OP: Durante o Silmo, a Novacel integrou oficialmente o portfolio da empresa lusitana EZoptics. Qual o ‘feedback’ que espera do mercado português?


JS: De facto, no decorrer da feira parisiense, a Novacel e a EZoptics assinaram o acordo de distribuição exclusiva em Portugal das lentes fabricadas em França. Auspiciamos, desde já, uma conquista arrebatadora em território luso. Ao contrário do que acontece em alguns países europeus, o mercado português está em constante desenvolvimento. Na realidade, a seguir a França, Portugal é o país onde se vende a maior quantidade de lentes progressivas, devido ao notório envelhecimento da população.


 


OP: Fale-me do vosso novo produto, o Synchrona 4NG…


JS: Este produto insere-se na quarta geração de lentes progressivas fabricadas com tecnologia Free-Form. A Synchrona 4NG surge assim como uma actualização audaz da sua gama, sempre no seguimento da filosofia baseada na melhor tecnologia inerente a preços atractivos. O produto encontra-se disponível com todos os tratamentos da gama Synchrona: Diaplus, Selis XT, Opalis SH, Opalis AST e Airlis AAC, existe em todos os tipos de materiais, tais como o Transitions, Polarizados, Sunsensors, Drivewear, Trivex e Policarbonato, e ainda em todos os índices de refracção desde 1.5, 1.6, 1.67 e 1.74.


 


OP: Quais as grandes vantagens desta nova lente?


JS: Através de um departamento de I&D exemplar, conseguimos diminuir ainda mais a distorção periférica com a Synchrona 4NG, aumentando o conforto do consumidor. Deste modo, a fase de adaptação às progressivas torna-se um processo simples e célere.

7 Janeiro 2010
Entrevistas

PUBLICIDADE
MIDO 2022
PUBLICIDADE
jackNoble
PUBLICIDADE
Vision Plus Expo 2021

Notícias relacionadas

“A Prooptica atua de olhos postos no futuro”

Numa altura em que a Prooptica comemora 28 anos de existência Luís Justino, administrador da empresa, desvenda em entrevista os segredos do sucesso, as dificuldades vividas e as oportunidades que a pandemia de Covid-19 trouxeram. Para o futuro, o administrador imagina uma empresa fascinada pela internacionalização e pelo desenvolvimento sustentado, com o mesmo objetivo de sempre: garantir a satisfação plena de todos os parceiros.

Ler mais 3 Setembro 2021
Entrevistas

“Os óculos são objetos que qualificam as pessoas”

Uma das pessoas mais reconhecidas no mundo da ótica, especialmente quando falamos do conceito de óculos modernos, falou em exclusivo para Portugal à ÓpticaPro. Contador de histórias, Paolo Seminara respira paixão por uma profissão onde “o tempo voa”.

Ler mais 10 Agosto 2021
AtualidadeEntrevistasÓculos