“Vender Jacob Jensen será um privilégio”

Imagem da notícia: “Vender Jacob Jensen será um privilégio”

ÓpticaPro: A Vestígio tem uma predisposição natural para as marcas de ‘design’ de mobi-liário. Como surge a representação da Jacob Jensen?
Emanuel Barbosa: A Vestígio representa e distribui em exclusivo para Portugal diversas marcas internacionais de referência, mas a nossa abordagem centrou-se sempre na prioridade ao ‘design’ de elevada qualidade. Entre elas está a Jacob Jensen Lifestyle há já quase dez anos. O seu trabalho está exposto nos principais museus e colecções de ‘design’ de todo o mundo, constituindo o elemento principal para o sucesso de algumas empresas. Exemplo disso é a Bang & Olufsen, famosa pelo desenho das suas propostas no campo do som e imagem. Desta forma, consideramos que vendemos ‘design’ e não simplesmente produtos.

OP: De que modo descreve a linha ‘eyewear’ deste criador?
EB: A gama de óptica desta marca representa uma extensão lógica de uma filosofia intemporal de qualidade e excelência de ‘design’. A Jacob Jensen Eyewear prolonga assim a divulgação que a Vestígio faz do trabalho do artista. De resto, revela-se um privilégio trabalhar com produtos intemporais deste nível de qualidade, que não se tornam caprichos de moda obsoletos. O facto de existirem inúmeros produtos desenhados por Jacob Jensen na colecção de ‘design’ do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque prova a sua dimensão. O conceito para a criação desta colecção centra-se na neutralidade e discrição, que evita colocar obstáculos entre o utilizador e o resto do mundo. A insígnia Jacob Jensen assegura uma experiência de prazer pelo conforto, sem alterar o rosto e sem reclamar demasiadas atenção. A Jacob Jensen constitui um investimento seguro porque não se subjuga a tendências ou modas. Torna-se intemporal, o que representa uma atitude ecologicamente correcta.


OP: O sector da óptica tem, de facto, uma inclinação forte para a área da criação. Entre tantas marcas, porquê a Jacob Jensen?
EB: Em parte, o consumidor final tem a responsabilidade por esta aposta. A Vestígio foi contactada diversas vezes por interessados em adquirir óculos Jacob Jensen e que não sabiam onde fazê-lo. A nossa empresa representa a marca a nível nacional noutras linhas de produtos e acabamos por assumir a sua ‘voz’ em Portugal.


OP: Vai alargar esta aposta a outras insígnias na área dos óculos?
EB: Para já estamos a focar a nossa atenção na Jacob Jensen Eyewear e na Danish Eyewear, a marca própria da empresa que produz a linha deste ‘designer’. Claro que não colocamos de parte a introdução de outras marcas em Portugal. Posso mesmo revelar que já nos contactaram nesse sentido. Volto a repetir, no entanto, que não vamos vender óculos, mas sim objectos de desejo, peças de ‘design,’ que prestigiam os proprietários e os ópticos responsáveis pela venda.


OP: Que estratégia estabeleceu para conquistar os ópticos?
EB: Dispomos de uma equipa comercial para visita e acompanhamento aos pontos de venda. Apostamos num serviço personalizado e multidisciplinar de grande qualidade, já que lidamos com um produto especial. Vender Jacob Jensen constituirá um privilégio. Devido à abordagem peculiar que faremos ao mercado, muitos clientes finais procurarão em específico a marca Jacob Jensen e estabeleceremos rigorosos limites geográficos. Trata-se de um produto muito especial, competitivo, com excelentes argumentos de venda, que não se torna obsoleto, permitindo ao óptico rentabilizar de uma forma invulgar o investimento que fez. Não existem no mercado mais de uma ou duas marcas, que possam rivalizar connosco. Desenvolvemos ainda projectos completos de ‘design’ de interiores e comunicação (‘web’ e impressão), prestando um serviço extremamente completo ao óptico.

27 Novembro 2009
Entrevistas

PUBLICIDADE
|MIDO 2021

Notícias relacionadas

Daniela Guerreiro: “O mercado da ótica mudou bastante”

Com uma recente remodelação, a Oculista Carioca, nos arredores de Sintra, está mais atrativa e funcional. Com “um serviço de qualidade, seriedade e profissionalismo”, Daniela Guerreiro, há 16 anos na empresa fundada pelo pai, reconhece que o mercado mudou bastante desde então.

Ler mais 20 Julho 2020
Entrevistas

“Iremos colocar em prática uma forte campanha de sensibilização”

Em meados de maio, a Associação Nacional dos Ópticos (ANO) apresentou os resultados do inquérito ao subsector de comércio a retalho de material ótico, pedido ao Centro de Estudos Aplicados (CEA) da Universidade Católica Portuguesa (UCP), com o objetivo de analisar o impacto da pandemia Covid-19 nesta área. Falámos com Fernando Tomaz, presidente da direção da ANO, para conhecermos as principais conclusões do estudo e as medidas que se impõem.

Ler mais 26 Junho 2020
Entrevistas